Diário de Guarapuava.com.br

  Mudar jornal: Diário do Sudoeste
  • Guarapuava, 29 de Agosto de 2014

Publicado em 14 de Março de 2014, às 15h00min

Movimentos sociais se manifestam sobre passe livre

A nota de repúdio é assinada por entidades que participam do Grupo de Trabalho instituído em audiência pública após protestos de 2013

Diário de Guarapuava Redação
Concessão de passe livre estudantil tem sido discutida por grupo e Executivo (Foto: Janaina Carvalho/Diário/Foto ilustrativa)

Após repercussão da reportagem do Diário de Guarapuava sobre o transporte público de Guarapuava, publicada na última quinta-feira, 13, movimentos sociais da cidade enviaram ao jornal carta de repúdio “ao rompimento de compromisso com passe livre por parte do prefeito Cesar Silvestri Filho”. Na matéria, o prefeito demonstrou cautela à aplicação do passe livre no município tanto este ano quanto em 2015, em virtude de dificuldade orçamentária.

A nota pública é assinada por entidades que participam do Grupo de Trabalho instituído em audiência pública após protestos de 2013, quando a estação da fonte foi ocupada mais de uma vez por manifestantes insatisfeitos com valores da tarifa, qualidade dos serviços e falta de transparência. O grupo tem analisado o assunto e afirma que prestará resultados à população este mês.

confira também

“As entidades participaram de duas reuniões com Cesar Silvestri Filho no final de 2013. Na última, o prefeito manifestou ser favorável à implantação do passe livre para 2014 e se comprometeu a divulgar os estudos orçamentários para as entidades em nova reunião a ser convocada em dezembro do ano passado. O prefeito não promoveu a reunião, porém, foi à imprensa e anunciou a implantação do passe livre para estudantes cuja renda familiar seja de até três salários mínimos, já no início do período letivo de 2014. Compromisso que exigimos, seja cumprido”, ressalta a carta.

Confira a íntegra da nota:

Nota de repúdio ao rompimento de compromisso com Passe Livre por parte do prefeito Cesar Silvestri Filho‏

As entidades abaixo relacionadas, bem como a sociedade guarapuavana, foram surpreendidas pela entrevista em que o Prefeito Cesar Silvestri Filho rompe com o compromisso de implantar o Passe Livre Estudantil. Em entrevista ao jornal Diário de Guarapuava, na edição de 13 de março, afirma o prefeito que, além de não haver implantado o Passe Livre em fevereiro, está ‘cético’ em relação à sua concessão, inclusive citando dificuldades para o ano de 2015.

Após as manifestações realizadas em 2013, em que por três oportunidades o Terminal da Fonte foi ocupado, o povo de Guarapuava insatisfeito com os serviços prestados pela empresa concessionária do transporte público coletivo na cidade exige transparência e tarifa justa. A tarifa cobrada é alvo de questionamentos, em que pese suspeitas de manobras contábeis e de controle de catracas que acabe por elevar o seu valor. Esta tem sido motivo de estudos do Grupo de Trabalho instituído em Audiência Pública na Câmara de Vereadores e que entregará os resultados ainda neste mês de março.

As entidades participaram de duas reuniões com o prefeito Cesar Silvestri Filho no final de 2013. Na última, o prefeito manifestou ser favorável à implantação do Passe Livre para 2014 e se comprometeu a divulgar os estudos orçamentários para as entidades abaixo relacionadas em nova reunião a ser convocada em dezembro do ano passado. O prefeito não promoveu a reunião, porém foi à imprensa e anunciou a implantação do Passe Livre para estudantes cuja renda familiar seja de até três salários mínimos, já no início do período letivo de 2014. Compromisso que exigimos, seja cumprido.

A sociedade guarapuavana confiou na palavra do prefeito e aguardou a implantação do Passe Livre para o mês de fevereiro. Entretanto, o Prefeito fez outra escolha política, que foi abandonar os estudantes e desprezar todo o diálogo construído até então. Nos estranha que seja este o ‘método democrático’ adotado pelo Prefeito, pois ele não leva em consideração que compromissos assumidos com o povo devem ser cumpridos. Ao não fazê-lo, Cesar Silvestri Filho perde credibilidade pública e faz uso do tipo de atitude que tem levado o povo a não confiar nos políticos e a protestar nas ruas de todo o país.

Assinam:
DCE (Diretório Central dos Estudantes) Unicentro
APP (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná)
Sisppmug (Sindicato dos Servidores, funcionários públicos e professores municipais de Guarapuava)
Adunicentro (Sindicato dos Docentes da Unicentro)
MPL (Movimento Passe Livre)